Usuários online usuários online Atlético Chineiro: Chineiro 5 anos - Retrospectiva: 2006

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Chineiro 5 anos - Retrospectiva: 2006


No ano de 2006, mais precisamente em 15 de Julho nascia o Clube Atlético Chineiro, a criação deu-se a Diego e Fabrício que organizaram um futebol de campo no Complexo Esportivo Santo Inácio na zona norte de Porto Alegre. Na ocasião participou o atual treinador, Junior Frota. O primeiro jogo foi um combinado com diversos amigos dos dois contra um grupo de veteranos que jogava as tardes de sábado em Eldorado, foram dois finais de semana assim, porém, para o terceiro confronto foi marcado um jogo contra o XXIII de Setembro que atuava no campo 2 às 14 hs. O placar foi desfavorável, 3 x 4, Bruno Cabelinho marcou o primeiro gol da história do Chineiro e nesta mesma partida Maurício Calcanhar marcou um golaço por cobertura, na ocasião o clássico “Alcindo” do XXIII de Setembro definiu a partida, que teve por curiosidade maior a arbitragem de um jogador do time verde e a farda do Sport Club Internacional vestindo o Chineiro, que para aqueles jogos iniciais chamava-se provisoriamente “Sobrinhos da Tia Carmem”.

O nome Chineiro foi decidido em uma eleição onde tínhamos mais de 200 nomes, somente o ex-integrante Igor Amazarray deve ter dado em torno de 180 opções, mas o nome que o grupo mais se identificou foi o Clube Atlético Chineiro, uma sátira ao Clube Atlético Mineiro com relação as grandes e inesquecíveis noites que os integrantes faziam, na época, a grande maioria dos atletas tinha a idade média de 20 anos.

O primeiro fardamento foi conseguido junto a Paquetá, tratava-se de camiseta bordô da Topper, calção preto e meia preta.

Os atletas que ainda permanecem na equipe são:
Goleiro Diego
Zagueiro e atual goleiro JG
Volante Fabrício
Volante e atual treinador Junior Frota
Meia Maurício Calcanhar
Atacante Fabiano
Bruno Cabelinho, Tales e Leandro Tevez fazem apresentações esporádicas.

Com a bola rolando o Chineiro tinha como destaques Fabiano, Leandro Tevez e Marco. Os adversários mais tradicionais nesta época eram o Cairu e Olympikus. A primeira vitória foi contra o extinto Juventus e a derrota mais marcante do ano foi o 1 x 0 para o Amigos do Cachaça, do atacante Eduardo Amado, que 3 meses depois levaria 4 x 0 do Chineiro. 2006 também foi o ano da primeira briga, o atual Fabrício fez feio e brigou com um atleta do Resi (nossa reportagem tem quase certeza que foi o Junior), ambos estranhamente puxaram os cabelos um do outro. Como a equipe nascera naquele ano os jogos eram marcados semana a semana, não tínhamos agenda, assim, a meta do time era vencer um jogo por mês, quando chegava o último sábado de cada mês e ainda não tínhamos uma vitória era marcado com urgência um jogo com o Cairu! Uma grande lembrança para os colorados do Chineiro foi o último jogo contra a empresa Personal Luminosos, um dia após esta data o Internacional seria campeão do mundo em cima do Barcelona no Japão. Fabiano foi o artilheiro da temporada com 18 gols, Fabrício balançou as redes por 4 vezes, Frota uma e até Diego fez um gol contra o Cairu.

Campanha 2006
18 jogos
7 vitórias
6 derrotas
5 empates
56 gols marcados
49 gols sofridos
+7 saldo

14 comentários:

  1. O Chineiro deve muito aos jogadores que fundaram e mantiveram a equipe, em especial: Igor, Rafael Tropeço, Marco, Bruno, Tales, Fernandão e Leandro Tevez.

    O ideal do time naquela época era a amizade, eram muito engraçados os jogos, vestíamos a camisa com amor.

    ResponderExcluir
  2. O slogan do time naquela época era "jogos, bebidas e prostitutas", ele foi substituído por "bebidas, futebol e mulheres" em respeito as mães que lavavam os fardamentos. Inclusive, tínhamos uma escala para a lavagem da farda.

    Naquela época somente Fabrício namorava, todos eram solteiros, depois todos começaram a namorar e Fabrício ficou solteiro, hoje a situações é a mesma do início do time.

    ResponderExcluir
  3. bah com aquele cabelo ele pegava gente???
    ta loko!!!

    ResponderExcluir
  4. Fabricio Feijo de Carvalho10 de maio de 2011 12:38

    Sempre ne ? Agradeço minha mãe por ter me colocado em uma escola de qualidade , bons professores isso sempre me deu muita confiança na hora de me expressar.

    ResponderExcluir
  5. baita escola, fez raras aparições no dom diogo de souza, e ainda se formou em um supletivo surrado !

    heehehehehe

    ResponderExcluir
  6. Bons tempos aqueles, em que eu ainda frequentava a escola...

    Recordar é viver !
    hehehhe

    Fabiano

    ResponderExcluir
  7. agora vamos ver se vcs são bons de memória mesmo, lembram que no primeiro jogo em gramado 7 lá no Humaitá um carro da PF parou na Free Way para nos assistir jogar??? fico cerca de 15 minutos assistindo hehehe

    ResponderExcluir
  8. Fabricio Feijo de Carvalho11 de maio de 2011 08:01

    Claro que lembro JG , me lembro ainda que fomos roubados naquele jogo, diego fez um penalty claro no Fabiano que nao foi marcado.

    ResponderExcluir
  9. Eu venci fácil akele jogo! Fabiano já se tocava no chão com 14 anos nakela época!

    ResponderExcluir
  10. Saí pifado na cara do gol, balancei o Diegão mão de alface, e fui derrubado !
    Penâlti não assinalado pelo juiz safado, em questão, o mesmo Diego !
    hehehehehee

    Fabiano.

    ResponderExcluir
  11. chineiro eterno.....o cabare locomotivo.. sou sujo fiz noite noite forte to virado eu quero muito ganhar heheheheh .jr frota

    ResponderExcluir
  12. Bah, muito errado a descrição do lance do Fabiano, bateram uma falta frontal e eu fiz uma defesa excepcional espalmando, na verdade a bola veio no meio do gol e eu bati roupa, naquela clássica bola que da no meu peito de madeira e vai pra frente, na sobra o Furtado puxou pro lado e eu que nem um gato me recuperei nos pés dele que simulou muito mal um penalti!

    ResponderExcluir
  13. O diego excluiu meu comentário.

    que sujeira

    Fabiano

    ResponderExcluir
  14. Fabricio Feijo de Carvalho13 de maio de 2011 12:48

    Democracia e o caralho o lance e comunismo

    hehheehheeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee

    ResponderExcluir